Cirurgia Oral em Cães e Gatos

Saber que nossos amigos peludos precisam ser operados sempre dá medo. É natural sentir um frio na barriga. Mas, para alívio de tutores e bichinhos, a medicina veterinária tem avançado bastante nessa área.

A cirurgia oral é comum em cães e gatos. Ela serve para corrigir defeitos de nascença, reconstruir partes depois de quedas ou fraturas, remover tumores e também para extrair dentes.

Procedimentos cirúrgicos em odontologia, ao contrário de outras situações na clínica geral,  é justamente a primeira opção de tratamento na maioria dos casos. Geralmente apenas são indicadas outras opções quando os resultados cirúrgicos não são satisfatórios ou o problema não pode ser resolvido cirurgicamente.

Usos da cirurgia oral em cães e gatos

A decisão de operar nunca é simples. Ela surge depois de muita conversa e exames que confirmam a sua necessidade. Conheça aqui alguns casos:

Extrações

A extração de dentes (exodontia) é considerada uma cirurgia. No caso dos pets, o veterinário pode indicar a remoção de dentes em várias situações:

  • Dentes de leite que não caem naturalmente;
  • Periodontite, abscessos dentários;
  • Mau alinhamento (maloclusões);
  • Alguns casos de fratura e deslocamento (luxação);
  • Lesões que causam muita dor e impedem o pet de comer;
  • Quando o tutor não pode pagar outros tratamentos para manter o dente;

Fraturas na mandíbula e maxila

Essas lesões são muito comuns em pets. Elas acontecem após quedas, acidentes, brigas com outros animais ou por algumas doenças. Alguns sinais visíveis são o “rosto torto” e dificuldade em fechar a boca. Quando a fratura é na maxila, parte superior, o pet pode ter problemas para respirar.

O diagnóstico precisa de raio-x para avaliar melhor o tamanho dos danos. Para o tratamento das fraturas podem ser usados recursos como resina, fios de aço, e miniplacas para fixar o osso.

Deslocamentos (luxações)

Um simples bocejo pode tirar do lugar a articulação que se movimenta ao abrir e fechar a boca. Ela é chamada de ATM (articulação temporomandibular). Quando isso acontece, os bichinhos sofrem muita dor e dificuldade para comer porque ficam com a boca travada.

Mas nem todo bocejo ou gargalhada vai precisar de operação. Alguns casos podem ser resolvidos manualmente. Em outras situações, como quedas e atropelamentos, a cirurgia vai ajudar a pôr as coisas no lugar.

Tumores

A cirurgia pode salvar a vida do seu pet. Isso ocorre nos casos de tumores na boca.

O tratamento do tumor consiste na sua remoção total e da área ao redor. Às vezes é preciso remover parte ou totalidade da mandíbula (mandibulectomia) ou da maxila (maxilectomia).

Depois disso, é muito importante manter o acompanhamento, pois pode haver retorno do tumor. Cirurgias de reconstrução também podem ser necessárias para corrigir desconfortos.

Um dado muito importante: a cirurgia pode garantir a sobrevivência de animais que seriam sacrificados. Apesar de cortar o coração, pets podem sobreviver muito bem (e felizes!) por vários anos, mesmo com mutilações. Vale a pena manter nossos amigos por perto com saúde.

Fendas no céu da boca

Alguns animais nascem com “buracos” no céu da boca (palato). Essas fendas podem ser simples e não precisar de intervenção. Já outras, mais profundas e mais comuns, causam problemas ao pet. Elas precisam de cirurgia porque causam infecções respiratórias, pneumonia, espirros e engasgos durante a alimentação. Se não tratadas, podem levar até mesmo à morte do bichinho.

Avanços nas técnicas e na anestesia

As cirurgias tentam restaurar o funcionamento das partes que estão com problema e dar qualidade de vida ao pet. A meta também é eliminar dores e incômodos.

Um dos avanços mais importantes na área vem desse controle da dor. Esse costuma ser um dos grandes medos dos tutores, já que ninguém quer que o bichinho sofra nos procedimentos.

Atualmente a anestesia local costuma ser associada à anestesia geral. Dessa forma, os riscos são menores. A redução do uso de anestésico para dormir diminui a chance de complicações cardíacas durante a cirurgia.

Esse uso mais seguro da anestesia faz com que o pet tenha menos desconforto durante e depois da operação. Ele também precisa usar menos remédios no pós-operatório.

Fique tranquilo se seu pet precisa de cirurgia oral

Como vimos na postagem, a cirurgia muitas vezes causa medo, mas é indicada para uma série de problemas. Ela pode, inclusive, salvar a vida do animal. Isso já é um bom motivo.

Portanto, é preciso ter coragem para aceitar quando esse procedimento precisa ser feito. Nada de deixar de tratar o bichinho porque está com medo, ok?! Uma conversa com o veterinário é fundamental para se tranquilizar e entender o que está em jogo.

Por sorte, a medicina veterinária tem trabalhado bastante para melhorar suas técnicas. Com esses avanços há mais segurança em todas as etapas, desde o pré até o pós-operatório.

A cirurgia oral em cães e gatos tem se aproximado do dado aos humanos, diminuindo riscos e desconfortos, por exigência dos próprios tutores. Afinal, nossos amigos peludos já fazem parte da família e queremos sempre o melhor para eles.

Envie Seu Contato

Retornaremos o seu contato assim que possível para agendar a sua avaliação e tirar as suas dúvidas.

Formulário seguro. Não enviamos spam.